Queremos saber : Fundos Imobiliários
Queremos saber : Fundos Imobiliários

Queremos saber : Fundos Imobiliários

Queremos saber : Fundos Imobiliários

blog_g+p_-_FIIS

Você já ouviu falar em Fundos Imobiliários? Como a g+p está inserida nesse mercado, desenvolvendo projetos e fomentando construções, procuramos estimular o entendimento e todas as iniciativas nesse segmento. Acreditamos que possa ser vantajoso conhecer essa modalidade de investimento.

Com os fundos imobiliários, você consegue investir em imóvel sem precisar ter o valor todo do bem, porque os fundos seguem a mesma lógica de um condomínio. Eles reúnem grupos de pessoas (investidores) que adquirem cotas de propriedades ou construções que serão alugadas.

Entre as vantagens de investir em fundo imobiliário estão a possibilidade de alta rentabilidade e uma renda mensal de aluguéis, sem precisar ter qualquer responsabilidade com inquilinos e toda a burocracia envolvida nesta relação.
No final do mês, todos os participantes recebem frações da rentabilidade do fundo de acordo com a medida aplicada.

Agora que você deve ter se interessado, pode estar se perguntando como fazer e de quanto é necessário para começar a investir.

Inicialmente, você precisa abrir uma conta em uma corretora de investimentos. Ao acessar a plataforma, você terá disponível um portfólio de tipos de fundos. Eles são identificados por letras, que são chamados de “tickers”.

Ao buscar pelo ticker do fundo que você deseja investir, peça para enviar uma ordem de compra. E com apenas R$ 5 reais, você já pode começar. Mas como saber qual FII é ideal para comprar? Vamos conhecer os tipos de fundos imobiliários?

Eles podem ser de agronegócio, educacional, hospitais, hotéis, incorporações, residencial, shoppings, e varejo.

Agora que falamos e te introduzimos no assunto, recomendamos que você se aprofunde em mais informações até dar o primeiro passo para investir.

Vale lembrar que todo investimento tem seus riscos. No caso dos fundos, o principal risco é de liquidez. Há também os riscos de inadimplência e físico. Por isso, é necessário acompanhar a economia e seus desdobramentos; bem como os indicadores que impactam cada segmento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *